Curiosidades..

=> ORIGEM E CURIOSIDADES DO POMPOARISMO.
Diferente do que muitos imaginam, a técnica não é originada do tantra, mas sim de um antigo povo celta, há milhares de anos, antes mesmo do cristianismo. Somente o nome pompoarismo é de origem tântrica, assim como o aperfeiçoamento da técnica, com o intuito de aumentar as habilidades da musculatura vaginal e proporcionar mais prazer na relação sexual.

A técnica de contrair a musculatura vaginal de forma habilidosa veio das sacerdotisas do templo da Grande Mãe na Irlanda, também chamadas de "bruxas". Essas mulheres tinham em mente que o ventre e a vagina eram órgãos sagrados no corpo, portais da vida, da geração e do nascimento. Por isso realizavam a técnica de contrair essa musculatura, junto ao toque dos tambores, durante os rituais de amor e fertilidade.

Para que as mulheres pudessem contrair essa musculatura com tanta presteza, acompanhando as batidas do tambor, era necessário grande treino antes dos rituais. E isso proporcionava a elas uma habilidade maior no parto, que eram menos doloridos e mais rápidos. Em suas relações sexuais, conquistavam seus homens com a grande habilidade que tinham em sua musculatura vaginal, dando mais prazer ao parceiro, além de sensações inusitadas.

Além das habilidades com a musculatura vaginal, essas mulheres também possuíam grande autoconhecimento, que fazia delas pessoas mais autoconfiantes e sedutoras. Com o passar do tempo, a técnica foi se perdendo, mas foi redescoberta pelos povos hindus e introduzida e adaptada posteriormente no tantra.


>>>DICAS DE SEXO ANAL PARA INICIANTES


Um guia rápido para explicar e ensinar algumas dicas sobre a prática que, apesar de ser tabu para muitas mulheres, pode ser bastante prazerosa.

Fator Psicológico:
Medo. Eis o argumento de boa parte das mulheres para não experimentar o sexo anal. Mas… medo de quê? A não ser que sofra de hemorroidas ou tenha qualquer outro problema na região do ânus, não há mal nenhum. A curiosidade em experimentar já movimenta a vida sexual. “Quando existe desejo, vontade e decisão, não dói”, afirma Aretusa Menezes, autora de 10 Mandamentos para a Felicidade Sexual da Mulher (Ed. Jaboticaba).

Treine sozinha:
No banho, acaricie a região anal com movimentos circulares e delicados. Quando se sentir familiarizada com o toque, chame o parceiro para debaixo do chuveiro. Beije-o enquanto se alisa. Peça para que ele, sempre de forma gentil, toque seu ânus. Depois, que introduza um dedo, dois… até a hora em que se sentir à vontade para a penetração. Uma ótima forma é utilizar os famosos Brinquedinhos para Sexo Anal, ajudam bastante!

Posições:
· Sentada sobre o parceiro: ótima para iniciantes, pois permite que a mulher controle a penetração.

· De lado: facilita o relaxamento e permite ao homem estimular seios e clitóris durante a penetração. IMPORTANTE: Jamais faça anal sem gel lubrificante, que facilita a penetração.

E o parceiro?
Não há sexo anal bem sucedido sem um parceiro carinhoso. “Ele deve penetrar devagarinho, parar por alguns segundos e então continuar”, ensinam os americanos Dan Andreson e Maggie Berman no livro Dicas de Sexo para Mulheres – Por Um Homem Gay (Ed. Jaboticaba). Se ele for principiante, você pode controlar o vaivém.

Kit obrigatório para praticar:
· Camisinha: Comparado à vagina, o ânus tem mais chances de ser infectado por alguma doenças – mesmo sem haver cortes na região. Por isso, use preservativo. Se for fazer sexo vaginal em seguida, use outro. Senão, as bactérias que habitam o ânus vão para lá.

· Lubrificante: O ânus não é elástico nem dispõe de uma lubrificação natural, como acontece na vagina. Portanto, para amenizar o atrito, e evitar que a camisinha se rompa pela fricção, use um lubrificante de gel à base de água.

· Higiene: Há quem recorra à lavagem intestinal para evitar a presença de detritos de fezes na hora H… Mas isso é exagero. “Uma boa higiene durante o banho é suficiente”,

=> 8 SINAIS QUE O CORPO ENVIA QUANDO PRECISA DE SEXO:



As necessidades fisiológicas e o apetite pelo sexo podem se tornar evidentes em nosso corpo através de uma série de sintomas que refletem o desejo de sentir contato sexual e viver experiências excitantes.

A falta de sexo afeta as pessoas, física e emocionalmente, inclusive sem que elas percebam isso. O fato é que esta necessidade humana vai muito além do prazer que gera, pois também cumpre uma função importante na saúde e no bem-estar.
1-Falta de sexo pode estar relacionada a falta de sono
Você tem tido dificuldade para dormir? A atividade sexual ajuda a liberar um hormônio conhecido como oxitocina, importante para ter um sono adequado e restaurador.


2-Mau humor e estresse
Ter altos e baixos no humor, especialmente no âmbito social, é um indicador de que o corpo precisa de sexo.



Obviamente, nem sempre esta é a razão por trás do estresse e do meu humor. No entanto, quando passam semanas e meses sem sentir satisfação sexual, já um maior risco de irromper em emoções negativas como a irritabilidade, o pessimismo e outras mudanças bruscas no humor em geral.

É importante saber que o sexo contribui para termos um melhor estado de ânimo. Ainda que muitas vezes esta necessidade seja ignorada, é algo que não se pode reprimir.

3-Falta de sexo aumenta as fantasias
Em maior ou menor medida, toda pessoa sonha ou tem algumas práticas sexuais em mente. Em geral elas surgem à noite, ou como produto de algum tipo de estímulo.

No entanto, quando estas fantasias se tornam algo frequente e surgem em diversos momentos do dia, é porque o corpo está ansioso para ter relações sexuais.

4-Falta de brilho na pele
Parece incoerente pensar que o ato sexual pode melhorar o aspecto da pele, mas não é. Quando se pratica sexo com frequência, os poros da pele se abrem e liberam as impurezas que costumam se acumular e que dão lugar às imperfeições.

É claro que não se trata de um tratamento estético; no entanto, como qualquer outra atividade física, o sexo facilita a eliminação de toxinas através do suor, além de ativar a circulação sanguínea.

Se notarmos que, de repente, o rosto perdeu um pouco do seu brilho natural e há mais acne do que o normal, este pode ser um indício de falta de sexo.

5-Tornamos-nos menos sociáveis
O fato de deixar de ter experiências sexuais pode provocar um isolamento social. Isso se explica pela diminuição na produção de endorfinas, substâncias que ajudam a manter o bom humor e o desejo de estar rodeados de mais pessoas.

6-Falta de sexo pode nos causar mal-estar físico
Falta de sexo pode nós causar mal-estar físico.

A razão? A falta de sexo diminui a produção de serotonina e de endorfinas, conhecidas como os hormônios da felicidade e famosos por agir como analgésicos naturais.

7-Insegurança

É muito provável que, ao deixar de ter relações sexuais, a pessoa comece a sentir uma certa insegurança em si mesma e em tudo que ela faz.

O sexo é uma atividade que melhora a autoestima e que permite tanto ao homem quanto à mulher se sentirem desejados e atendidos.

Não ter este tipo de experiência provoca uma insatisfação própria que pode derivar em depressão, ansiedade e dificuldades para tomar decisões acertadas.